Lisboa menina e moça

Outro dia fiquei a saber que Garcia Pereira concorre pela n-esima vez a um qualquer cargo politico. Desta feita à câmara municipal de Lisboa. O Garcia é aquele rapaz simpático cujo Freitas do Amaral até apadrinhou a tese de doutoramento e tem uma retórica argumentativa eficaz. Durante a entrevista que deu na rádio, para além de não puder revelar quem é o mandatário e restantes elementos da lista (alguns fadistas do bairro alto), expôs o programa que gostaria de implementar se fosse presidente. Pasme-se, mas o homem veio com uma ideias muito próximas do tempo do império ultramarino. A ver: Lisboa cidade capital do país deve centralizar toda a oferta cultural, económica, social do país e daí exercer a sua pujança contribuindo para o crescimento económico do país. Ora nada mais errado. O que este país precisa é que Lisboa não centralize o investimento e com isso arraste metade da população portuguesa à procura de emprego para a região, porque não existem outras alternativas no país, deixe analfabetas as pessoas porque tudo o que é evento acontece em Lisboa contrariando o esforço que se tem feito com as capitais da cultura, abrindo a mente das pessoas ao contacto com outras experiências e realidades; impedindo que a industria do turismo se desenvolva noutros sítios - já agora até só deveria existir um aeroporto no país. O Senhor Garcia até um homem simpático, mas com posições destas, contrariando até a própria doutrina do partido a que preside, não pode ser levado a sério. Como é que o presidente do PCTPMRPP pode assegurar oportunidades de emprego aos portugueses do norte ou do interior quando defende que tudo deve estar concentrado em Lisboa?

Comentários

Mensagens populares deste blogue

BPMN can bring death to your process data

29-12-2016 - Paris - Book of the year

04-03-2017 - Petra - What Women Want